Biopesca


Tartaruga-verde é a espécie mais atendida pelo Biopesca

12/04/2019

Cerca de 48% dos animais resgatados ou recolhidos pelo Instituto Biopesca são tartarugas-verdes. Desde o início do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), em agosto de 2015, a instituição recolheu 4556 animais, entre vivos e mortos, das praias de Peruíbe, Itanhaém, Mongaguá e Praia Grande, no litoral de São Paulo.

As tartarugas-verdes ocorrem na região porque essa é uma área rica em oferta de alimentação para essa espécie em sua fase juvenil, quando a dieta é composta por algas, na maior parte. Por estarem próximas à costa, elas correm o risco de ficarem presas em redes de pesca artesanal. Caso isso aconteça, elas não poderão ir à superfície para respirar e, assim, morrem afogadas.

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama. Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, por meio do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos.

Para acionar o serviço de resgate de golfinhos, tartarugas e aves marinhas, entre em contato pelos telefones 0800 642 3341 (horário comercial) ou (13) 99601-2570 (chamada a cobrar ou pelo WhatsApp).

O Biopesca atua em uma área rica em alimentação para as tartarugas-verdes (Chelonia mydas)

 

Navegação de postagens

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *