Biopesca


Tartaruga marinha é solta depois de capturada em rede de pesca

02/02/2018

Uma tartaruga-oliva (Lepidochelys olivácea) foi devolvida hoje ao mar pelo Instituto Biopesca depois de ter ficado presa na rede do pescador Juliano Almeida, de Mongaguá, litoral de São Paulo. O pescador conseguiu soltá-la e, em seguida, acionou a organização, que cuidou do resgate do animal. Na sede do Biopesca, em Praia Grande, a tartaruga-oliva passou por avaliação clínica pela equipe médica-veterinária e, como estava com condições estáveis, foi liberada depois de ser anilhada. Esse é um procedimento que colabora com estudos da conservação da espécie.

A sua devolução teve o apoio do Grupamento Costeiro da Guarda Civil Municipal de Praia Grande, que cedeu pessoal e embarcação para o transporte da tartaruga. A soltura ocorreu a aproximadamente quatro quilômetros da costa, na altura da praia do Canto do Forte, em Praia Grande (SP), a cerca de 30 metros de profundidade. Essa é mais uma espécie de tartaruga marinha ameaçada de extinção, mesmo situação das outras quatro espécies que ocorrem em águas brasileiras.

Fotos: Maria Carolina Ramos/Instituto Biopesca

Tartaruga é examinada na sede do Biopesca pela médica veterinária Vanessa Ribeiro

A bióloga Carolina Bertozzi, fundadora do Biopesca e professora da Unesp, anilha a tartaruga

Tartaruga prestes a ser solta

Navegação de postagens

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *