Biopesca


Gaivotas estabilizadas pelo Biopesca voltam à natureza

12/07/2018

Duas gaivotas (Larus dominicanus) resgatadas e cuidadas por veterinários do Biopesca em sua Unidade de Estabilização voltaram à natureza depois de reabilitadas. Essa unidade é destinada aos primeiros cuidados dos animais marinhos encontrados durante a execução, pelo Biopesca, do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS).

Segundo a médica veterinária Vanessa Ribeiro, do Biopesca, as gaivotas foram diagnosticadas com quadro de intoxicação. Após tratamento e consequente melhora do quadro clínico, as duas aves foram encaminhadas para o Centro de Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos do Instituto Gremar, localizado no Guarujá. No local, receberam os cuidados finais e foram devolvidas ao habitat natural. Esse Centro também integra a rede de atendimento do PMP-BS.

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama. Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos.

Ao encontrar golfinhos, aves e tartarugas marinhas vivos ou mortos nas praias, a população pode acionar a organização pelos telefones 0800 642 3341 ou (13) 99601-2570 (chamada a cobrar ou pelo WhatsApp).

Gaivota (Larus dominicanus) juvenil recebendo atendimento na Unidade de Estabilização do Biopesca

Navegação de postagens

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *