Biopesca


Gaivota é resgatada em Peruíbe

16/01/2018

No último sábado (13), o Biopesca resgatou uma gaivota (Larus dominicanus) na prainha da Serra do Guaraú, em Peruíbe (SP).  Os exames iniciais indicaram suspeita de intoxicação, muito provavelmente decorrente da ingestão de substâncias contaminadas, a exemplo de restos de lixo. Assim como outros animais marinhos, como tartarugas, essas aves sofrem com os impactos decorrentes do descarte incorreto de resíduos ou contaminação da água por componentes tóxicos.

Além de receber hidratação diariamente, a gaivota também está sendo medicada com antibiótico e anti-inflamatório e sua dieta consiste em uma papa de peixe com suplemento vitamínico.

O Biopesca resgata golfinhos, tartarugas e aves marinhas encontradas vivas ou mortas nas praias de Praia Grande, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe, no litoral de São Paulo. Se você encontrar um animal marinho debilitado, machucado ou já sem vida, entre em contato conosco pelos telefones (13) 99601-2570 (chamada a cobrar ou pelo WhatsApp) ou 0800 642 3341 (horário comercial).

Esse trabalho integra o Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), desenvolvido para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal, conduzido pelo Ibama, das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos. Seu objetivo é avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, por meio do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos. Além do Biopesca, outras nove instituições executam o PMP-BS.

Fotos: Kaio Nunes/ Biopesca

Navegação de postagens

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *