Newsletter Instituto Biopesca - Edi√ß√£o 10 - Maio / 2020

EDITORIAL: Abril registrou o sucesso na reabilita√ß√£o de animais que ingressaram para cuidados no Instituto Biopesca. √Č o caso de duas tartarugas que voltaram ao mar e t√™m suas hist√≥rias destacadas nesta edi√ß√£o da newsletter ‚ÄúEm dia com o Biopesca‚ÄĚ, que tamb√©m traz um texto a respeito dos 336 animais que j√° receberam cuidados da equipe da institui√ß√£o.

Uma terceira tartaruga marinha foi solta pelos próprios pescadores que a capturaram de forma acidental em suas redes. Esse caso motiva a equipe do Instituto Biopesca a continuar seu trabalho de monitoramento pesqueiro que, entre os objetivos, procura sensibilizar os pescadores para a adoção de medidas sustentáveis de pesca.

O trabalho da entidade continua durante a quarentena em fun√ß√£o do covid-19, assim como o de tantas outras institui√ß√Ķes e pessoas que, mesmo diante do desafio diante da pandemia, procuram conciliar sua tarefa com cuidados para protegerem-se e tamb√©m aos outros.

Boa leitura!

Tartarugas voltam ao mar depois de reabilitadas

Em menos de uma semana, tr√™s tartarugas marinhas capturadas acidentalmente em redes de pesca voltaram para o mar. Duas delas foram reabilitadas pela equipe do Instituto Biopesca depois dos pescadores acionarem a entidade para fazer o resgate. 

No dia 26 de abril, foi a vez da capturada acidentalmente por um pescador de Praia Grande e que estava recebendo cuidados desde o dia 18 de março para tratar uma infecção. Além disso, ela também apresentava resíduos sólidos no trato digestório, problema muito comum em tartarugas marinhas por conta da ingestão de lixo marinho. A soltura ocorreu na divisa entre Praia Grande (SP) e Mongaguá (SP).

Na semana anterior, outra tartaruga voltou ao mar imediatamente após ter sido desenredada pelos pescadores Matheus Lopes e Juliano Almeida, de Mongaguá. Ainda naquela mesma semana, a tartaruga encaminhada pelo pescador Leonardo Ramos, também de Mongaguá, foi solta depois de passar por reabilitação no Instituto Biopesca

Os tr√™s pescadores s√£o parceiros do Instituto Biopesca e, gra√ßas √† parceria com eles e outros, a institui√ß√£o j√° registra a soltura de mais de 800 tartarugas marinhas capturadas acidentalmente em rede de pesca. 

Biopesca na mídia

O atendimento a uma ave da esp√©cie saracura-lisa (Amaruolimnas concolor) pela equipe do Instituto Biopesca foi tema de reportagem do portal do programa ‚ÄúTerra da Gente‚ÄĚ, veiculado pela emissora EPTV, afiliada da TV Globo em Campinas (SP) e regi√£o. A ave foi encaminhada √† institui√ß√£o por uma professora aposentada, que a encontrou dentro da sua cozinha em S√£o Vicente (SP). Essa n√£o √© a primeira saracura atendida pelo Instituto Biopesca que, inclusive, j√° foi respons√°vel pela soltura de uma ave da esp√©cie.
Confira a reportagem clicando aqui.

Atividades durante quarentena continuam

Com a prorroga√ß√£o da quarentena no estado de S√£o Paulo em fun√ß√£o do covid-19, o Instituto Biopesca d√° continuidade √†s determina√ß√Ķes em plano de conting√™ncia que vigora desde mar√ßo, quando a medida foi estabelecida. Esse plano tem como principal objetivo a prote√ß√£o da equipe e tamb√©m evitar a propaga√ß√£o do cont√°gio da doen√ßa.  

Essas medidas foram estabelecidas em conjunto com a Mineral Engenharia e Meio Ambiente LTDA, empresa respons√°vel pela coordena√ß√£o geral do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) - √Ārea SP e a Petrobras, empreendedora do PMP-BS. Elas contemplam, por exemplo,  a constante higieniza√ß√£o das m√£os durante o monitoramento de praias, al√©m da limpeza cont√≠nua dos equipamentos necess√°rios ao trabalho, uso de m√°scaras e da ventila√ß√£o dos ve√≠culos, mantendo as janelas abertas.

A equipe que trabalha internamente na sede da institui√ß√£o tamb√©m segue as orienta√ß√Ķes, a exemplo de escala de trabalho diferenciada, uso de m√°scaras, realiza√ß√Ķes de reuni√Ķes on-line e home office de acordo com as fun√ß√Ķes desempenhadas. J√° os profissionais que se revezam no atendimento aos animais em recupera√ß√£o mant√™m a utiliza√ß√£o de equipamentos de prote√ß√£o individual de uso obrigat√≥rio (EPIs) e redobram os cuidados sanit√°rios, al√©m de limitar o n√ļmero de pessoas nos ambientes a fim de evitar aglomera√ß√Ķes. Campanhas de comunica√ß√£o com informa√ß√Ķes do covid-19 tamb√©m s√£o realizadas em m√≠dias interna e externa do Instituto Biopesca.

Cerca de 340 animais s√£o atendidos no Biopesca 

Em quase dois anos, um total de 336 animais marinhos encontrados debilitados em praias do litoral centro-sul de São Paulo receberam cuidados veterinários no Instituto Biopesca. Grande parte deles foi atendida na Unidade de Estabilização de Animais Marinhos (UE) de Praia Grande, sediada no Instituto Biopesca. Essa unidade faz parte de rede de atendimento do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS)

A maioria dos animais atendidos pertence ao grupo das aves marinhas,  seguido pelas tartarugas, em especial a verde (Chelonia mydas).  ‚ÄúAtuamos em uma das regi√Ķes onde as tartarugas-verdes jovens alimentam-se, por isso a sua apari√ß√£o √© recorrente nas praias‚ÄĚ, explica o m√©dico veterin√°rio Rodrigo Valle, coordenador geral do Instituto Biopesca.  ‚Äú√Č comum que as tartarugas cheguem magras, com pouco a√ß√ļcar no sangue e presen√ßa de parasitas no corpo. H√° tamb√©m aquelas que s√£o resgatadas afogadas porque ficaram presas em redes de pesca‚ÄĚ, comenta o veterin√°rio.

J√° as esp√©cies de aves atendidas s√£o tanto migrat√≥rias como costeiras. Exemplos s√£o os pinguins-de-Magalh√£es (Spheniscus magellanicus), que viajam em busca de alimento durante o inverno, e gaivotas e atob√°s, que ocorrem na costa. ‚ÄúO atendimento do Instituto Biopesca, bem como o de outras institui√ß√Ķes que executam o PMP-BS, ampliou significativamente a chance de animais marinhos debilitados voltarem ao seu ambiente. Antes dessa rede se formar, poucas institui√ß√Ķes tinham condi√ß√Ķes de receb√™-los‚ÄĚ, comenta Valle.

O Instituto Biopesca trabalha com diversas institui√ß√Ķes, como a Pol√≠cia Militar Ambiental, Guarda Civil Municipal Ambiental, Corpo de Bombeiros e equipes de limpeza de praias das Prefeituras de Praia Grande, Mongagu√°, Itanha√©m e Peru√≠be, munic√≠pios cujas praias s√£o monitoradas diariamente pelas equipes da institui√ß√£o. ‚ÄúEssas parcerias s√£o extremamente importantes, al√©m da ajuda da popula√ß√£o, que nos aciona ao encontrar animais marinhos nas praias‚ÄĚ, afirma Valle.

PMP-BS⠀⠀

O Instituto Biopesca √© uma das institui√ß√Ķes executoras PMP-BS, uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produ√ß√£o e escoamento de petr√≥leo e g√°s natural na Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama.

Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, por meio do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos.

O projeto é realizado desde Laguna/SC até Saquarema/RJ, sendo dividido em 15 trechos. O Instituto Biopesca monitora o Trecho 8, compreendido entre Peruíbe e Praia Grande.

Para acionar o servi√ßo de resgate de mam√≠feros, tartarugas e aves marinhas, vivos debilitados ou mortos,  entre em contato pelos telefones 0800 642 3341 (hor√°rio comercial) ou (13) 99601-2570 (WhatsApp e chamada a cobrar).

Para mais informa√ß√Ķes, acesse www.comunicabaciadesantos.com.br.

O Instituto Biopesca √© uma associa√ß√£o sem fins lucrativos fundada em 1998 no munic√≠pio de Praia Grande, litoral de S√£o Paulo. A entidade tem como miss√£o promover a conserva√ß√£o de esp√©cies marinhas amea√ßadas de extin√ß√£o, a partir de pesquisas, apoio a atividades acad√™micas e a√ß√Ķes de educa√ß√£o ambiental.


Expediente:

A newsletter é produzida pelo setor de Comunicação do Instituto Biopesca.
Textos e Edi√ß√£o: Maria Carolina Ramos ‚Äď MtB 23.883. Imagens: Instituto Biopesca.

www.biopesca.org.br
Facebook
Instagram
YouTube